Leiria – Reclamam descongelamento de carreiras

Enfermeiros protestaram junto ao Hospital de Santo André


Pombal 97 fm / Saúde – Como forma de reclamarem pelo descongelamento das carreiras, um grupo de enfermeiros protestou, ontem, junto do Hospital de Santo André, unidade do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) onde se integram, também, os hospitais de Pombal e de Alcobaça.
Em causa, segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), está o descongelamento da progressão da carreira dos profissionais de serviço no CHL, uma reivindicação que tem vindo a ser exigida ao Conselho de Administração.
Rui Marroni, director regional do SEP, revelou que "há mais de dois anos que tentamos que sejam resolvidos os problemas relativos aos descongelamentos das progressões dos enfermeiros”, frisando que uma grande parte dos enfermeiros “ainda não teve qualquer reposicionamento, apesar de tal estar previsto na lei".
Lamentando que o CHL "pertença aquele grupo de hospitais que não fizeram esse reposicionamento", o dirigente sindical refere que “há enfermeiros com mais de 20 anos, alguns com 24 ou 25 anos de exercício, e estão a receber exactamente o mesmo salário dos colegas que terminam o seu primeiro mês de trabalho”, sublinhando que, com a alteração à carreira, introduzida em Junho de 2019, “também foram criadas algumas injustiças que dizem respeito à não transição de muitos enfermeiros especialistas”, uma situação que continua a agravar-se.
"Também reivindicamos mais contratações e com vínculos definitivos, até porque os enfermeiros já eram necessários antes da pandemia”, adianta Rui Marroni, dando conta de que, “com a pandemia, veio a verificar-se que são muito poucos para dar resposta às necessidades da população” e vincando que “aquilo que pretendemos é que exista bom senso da parte da administração, no sentido de resolver os problemas".
Entendendo que este não é o momento para entrar em conflito, numa altura em que as atenções devem ser focadas no "combate fundamental a travar, que é o combate à pandemia", o sindicalista adiantou que a última resposta do Conselho de Administração do CHL surgiu em meados de Junho, contando que "aquilo em que se escudam é que o Governo não autoriza, mas outras administrações assumiram as suas decisões com a sua autonomia”.
“Apesar desta situação, os enfermeiros estão na linha da frente, abnegados, decididos e determinados no combate à pandemia", salienta Rui Marroni que pretende a realização de "uma reunião presencial ou por teleconferência, que permita colocar as questões e ouvir, da administração, se tem algum plano para a resolução destes problemas".

97FM - Pombal Vértice Luminoso