Figueiró dos Vinhos – Passa de 850 para 700 mil euros

Recuo do Município no empréstimo bancário agrada à Concelhia local do PSD

sport herrenuhren


Pombal 97 fm / Politica – O empréstimo bancário recentemente solicitado pela Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos, inicialmente de 700 mil euros e que, mais tarde, passou a 850 mil, foi agora reformulado voltando ao primeiro valor.
Este recuo do executivo agradou à Concelhia local do PSD que, em comunicado, considera tratar-se de “um sinal positivo que registamos e que vem ao encontro do que dissemos relativamente ao empréstimo a Curto Prazo em regime de conta corrente”.
Durante a reunião do Município realizada esta quarta-feira, os social-democratas figueiroenses assumiram uma posição, exarada em acta, na qual recordam a situação por que passou o referido empréstimo bancário.
Lembram que, numa reunião realizada a 27 de Novembro último “foi aprovada, com a abstenção do PSD, a proposta de deliberação tendo em vista a contratação de um empréstimo de 700 mil euros, acrescidos de juros, com o objetivo de fazer face a dificuldades de tesouraria e à satisfação dos compromissos com os fornecedores”.
Mais tarde, na reunião de 11 de Dezembro último, “foi aprovada, à revelia do que tinha sido deliberado anteriormente, uma proposta de crédito de 850 mil euros. Deixámos exarado em acta as razões do nosso voto contra”.
O PSD dá conta da sua admiração quando, na reunião da autarquia ontem realizada, se registou um recuo ao surgir “a Proposta de Deliberação que contempla um empréstimo de 700 mil euros, as cláusulas contratuais do referido empréstimo e o respectivo contrato de crédito”.
“Imperou o bom senso”, dizem os vereadores do PSD, recordando que, na reunião do passado mês de Dezembro, já haviam alertado para o facto de que “a verba de 700 mil euros era a mais consentânea com o deliberado na reunião anterior”, considerando as consultas feitas às instituições bancárias e as propostas recebidas.
“É um sinal positivo este recuo que registamos com agrado.
Não obstante, nada se alterou quanto à posição do PSD, relativamente ao empréstimo. Mantemos o que dissemos na altura e reafirmamo-lo agora”, adiantam os social-democratas figueiroenses.
E sublinham ser “num contexto de término do Plano de Saneamento Financeiro e com o anúncio exaustivamente propagandeado da liquidação total da dívida à banca no final de 2019, que este empréstimo se vai realizar. É, pois, num contexto em que as desculpas se acabaram e em que a herança é a do próprio que a Câmara se vai endividar”.
Já na sua parte final, o comunicado diz, ainda, que “este empréstimo é mais uma prova acabada do falhanço da gestão socialista no concelho”, concluindo com a garantia de que “não podemos aprovar com o nosso voto este empréstimo. Todavia não o inviabilizamos, mas tem de ser o Partido Socialista a assumir o ónus de o pedir, reconhecendo com isso o falhanço da sua própria gestão”.

97FM - Pombal Vértice Luminoso