Condeixa-a-Nova – Entre Janeiro e Julho deste ano

Programa de Emergência Social apoiou 73 famílias do concelho


Pombal 97 fm / Solidariedade – Através do Programa de Emergência Social, a Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova apoiou, entre Janeiro e Julho deste ano, 73 famílias locais.
No portal do Município condeixense refere-se que a estas 73 famílias corresponde um total de mais de centena e meia de indivíduos, com o apoio da autarquia a surgir “nomeadamente, através do pagamento de rendas e faturas de electricidade, gás e água e da oferta de refeições escolares nas interrupções lectivas”.
Citado no referido portal, Nuno Moita da Costa, presidente da Câmara Municipal, afirma que “apesar da melhoria das condições de vida, ainda há situações de profundas carências, motivadas por situações de desemprego ou de problemas de saúde, a que é preciso estar atento”.
E mais adiante, o autarca sublinha que “através deste programa pretendemos acudir aos casos mais emergentes, garantindo-lhes o apoio que precisam, seja ao nível do pagamento de rendas e outras despesas familiares mas também enquanto plataforma para uma reintegração social e no mercado de trabalho”.
Refira-se que os apoios previstos no Programa de Emergência Social são dirigidos a famílias residentes no concelho de Condeixa, há mais de um ano “e em situação de carência sócio-económica e emergência social”.
“O apoio poderá destinar-se a fazer face, nomeadamente, a despesas fixas mensais (renda/prestação de casa, electricidade, gás e água), problemas de saúde ou outras situações de emergência, estando também previsto apoio às refeições escolares em período de interrupção lectiva a alunos abrangidos pelo escalão A de abono da Segurança Social”, explica o Município condeixense.
Os apoios concedidos às referidas 73 famílias que se candidataram ao Programa de Emergência Social, no valor 25 mil e 500 euros, verificaram-se, sobretudo, ao nível das despesas fixas mensais e de saúde.
A Câmara de Condeixa explica, depois, que “a análise das candidaturas é feita com base no cálculo da capitação do rendimento ‘per capita’ do agregado familiar, não podendo ultrapassar os 70% do IAS (Indexante de Apoios Sociais), equivalente a 305,032 euros” e adianta que a atribuição dos apoios pontuais “implica a prestação de Trabalho Socialmente Útil (TSU) por parte dos beneficiários em idade activa, e as actividades são desenvolvidas nos serviços da autarquia, numa óptica de corresponsabilização dos benefícios e, simultaneamente, de apoio à integração social e (re) aquisição de hábitos de trabalho dos mesmos”.

97FM - Pombal Vértice Luminoso