Leiria – Em causa a situação no Hospital de Leiria

DORL do PCP pronuncia-se sobre problemas que afectam a saúde no distrito


Pombal 97 fm / Saúde – A Direcção da Organização Regional de Leiria (DORL) do PCP acaba de se pronunciar, em nota de imprensa, sobre a situação “no mais importante hospital do distrito de Leiria” e, igualmente, noutras estruturas distritais do Serviço Nacional de Saúde (SNS).
Assim, o PCP começa por explicar que “há muito” que vem alertando “para vários problemas na rede hospitalar e de cuidados de saúde no distrito de Leiria”, sublinhando que “o caso do Hospital de Leiria está longe de ser único, persistindo situações preocupantes em diversos centros de saúde do distrito, no Centro Hospitalar do Oeste nas Caldas da Rainha e em Peniche e no Hospital de Pombal (que integra o Centro Hospitalar de Leiria juntamente com o Hospital de Alcobaça)”.
Depois de valorizar “a dedicação, o profissionalismo e o esforço de todos os profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que, apesar de dificuldades, insuficiências e condições de trabalho injustas e desadequadas, dão todos os dias o melhor de si para que as populações do distrito de Leiria continuem a usufruir de cuidados de saúde na rede do SNS”, a DORL diz que, aparentemente, “os problemas no Centro Hospitalar de Leiria, estão na origem da demissão do Presidente do Conselho de Administração e suscitaram a demissão dos Chefes de Equipa da Urgência de Medicina interna, não são novos”.
Indica que foram vários os problemas “objecto do silêncio da própria Administração que, na sua política de comunicação apresentou, durante muito tempo, o Hospital de Leiria como um ‘hospital de excelência’” e adianta que a sua gestão não está “isenta de críticas em diversos aspectos”, tendo contribuído “para acentuar alguns desses problemas, nomeadamente no plano dos meios humanos e condições laborais”.
A DORL do PCO avança, depois, para o Hospital Distrital de Pombal, considerando que, também aqui “os problemas persistem de forma igualmente grave”, encontrando-se “cada vez mais privado de meios técnicos e humanos e de valências”.
“Estes problemas resultam de anos e anos de desinvestimento dos sucessivos governos no SNS, agravaram-se com a passagem do hospital a Entidade Pública Empresarial (decidida pelo Governo PS/Sócrates) e respectivo modelo de gestão, e sofreram uma acentuada deterioração com os cortes orçamentais e a redução de pessoal médico, auxiliar e administrativo durante o Governo PSD/CDS”, adiantam os comunistas leirienses.
Noutro ponto da nota, é referida “a incapacidade do Governo minoritário do PS de resolver alguns dos problemas mais graves nesta e noutras estruturas do SNS” e, apesar de avanços registados no distrito, nos últimos três anos, “sobretudo com a contratação de mais médicos e enfermeiros e beneficiações em alguns centros de saúde… os constrangimentos orçamentais decorrentes das imposições da União Europeia e do compromisso do PS com o grande capital, estão a bloquear uma resposta à reparação da destruição infligida pelo Governo PSD/CDS e ao investimento para expandir e melhorar a rede de cuidados de saúde primários e hospitalares”.
Para o PCP, refere a nota, “só pode haver mais qualidade no SNS com uma aposta na valorização dos seus profissionais e trabalhadores”, salienta a DORL, indicando que “a situação laboral no Hospital de Leiria tem vindo a sofrer uma acentuada degradação e neste aspecto o Presidente do Conselho de Administração demissionário tem responsabilidades iniludíveis”.
“O PCP considera que a resolução de problemas como os que se verificam no Hospital de Leiria só é possível com uma política que, entre outros aspectos, defenda sem equívocos o SNS público e universal, corte com a política de direita que favorece o negócio privado da saúde, aposte na contratação de mais recursos humanos, dote os vários concelhos do distrito abrangidos pelo Centro Hospitalar de Leiria de estruturas, valências e meios técnicos e humanos que invertam a tendência de sobrecarga do Hospital de Leiria com utentes e funções que poderiam ser atendidas numa política de proximidade e descentralização”, afirma-se na nota da DORL do PCP.

 

97FM - Pombal Vértice Luminoso